Links úteis
Perfil
Em debate
Artigos
Recicle
menu

Copacabana e a Coleta Seletiva

Nasci e cresci em Copacabana. Não consigo esquecer aquela praia onde meu pai me levava desde bebê para ganhar saúde. A saúde do sol nascente que trazia os peixes, nas redes dos pescadores, que trazíamos para terra no esforço solidário, que valia um peixe, que almoçávamos mais tarde. A saúde do mar rico em iodo, oxigenado por ondas belíssimas onde pegávamos jacaré. Da praia para a praça, ali na Constante Ramos, onde brincava com a paz e a segurança que toda criança precisa. Hoje, aos 42 anos, ainda estou por aqui, mas não consigo que minhas filhas percebam o que Copacabana representou e representa para mim.

Nossa praia é tão poluída quanto os rios, lagoas e outras praias por aí. É muito lixo e muita poluição que transforma em "cinza" a nossa Princezinha. A produção de lixo vem aumentando assustadoramente em todo o planeta. O lixo é o maior causador da degradação do meio ambiente e pesquisas indicam que cada ser humano produz, em média, pouco mais que 1 quilo de lixo por dia. Desta forma, será inevitável o desenvolvimento de uma cultura de reciclagem, tendo em vista a escassez dos recursos naturais não renováveis e a falta de espaço para acondicionar tanto lixo.

Grande parte dos materiais que vai para o lixo pode (e deveria) ser reciclado. Tendo em vista o tempo de decomposição natural de alguns materiais como o plástico (450 anos), o vidro (5.000 anos), a lata (100 anos), o alumínio ( de 200 a 500 anos), faz-se necessário o desenvolvimento de uma consciência ambientalista para uma melhoria da qualidade de vida atual e para que haja condições ambientais favoráveis à vida das futuras gerações.

Os moradores e amigos de Copacabana podem dar uma belíssima contribuição para o nosso meio ambiente. Nosso papel neste processo é muito simples: separar o lixo que produzimos. Não é possível reciclar em quantidades significativas se não houver, dentro de nossas casas, empresas e outros estabelecimentos, a separação do lixo por tipos de materiais. Algumas constatações merecem destaque por sua importância: as garrafas de refrigerantes (PET) são transformadas em tecido para fazer calça jeans; uma tonelada de plástico reciclada economiza 130 quilos de petróleo; depois de reciclado, o plástico ainda pode virar carpetes, mangueiras, cordas, sacos, pára-choques; reciclar uma tonelada de papel poupa 22 árvores, consome 71% menos energia elétrica e polui o ar 74% menos do que fabricá-la; diversos tipos de papéis podem ser reciclados 7 vezes ou mais. Estes são apenas alguns dos inúmeros benefícios que a reciclagem proporciona à sociedade, à economia, e ao meio ambiente em geral.

Esse é o tipo de coisa que não se movimenta pela lógica dos custos, provavelmente não há relação custo-benefício que remunere o transporte, carga, descarga e seleção do lixo para posterior reciclagem, mas com certeza tem amparo no mundo do valor, onde o que conta é a qualidade de vida que se agrega. Precisamos da Comlurb para, em parceria, desenvolver ações que permitam a ação dos moradores e amigos, precisamos das associações de moradores, em especial da AMACOPA, para trabalharmos a atitude dos condomínios e comerciantes, e precisamos nos lembrar sempre do que foi Copacabana para contamina-la com o doce perfume de nossa esperança.

Eduardo Dantas