O auxiliar de enfermagem Edson Izidoro Guimarães é o grande personagem da saúde pública do Rio. Nos próximos dias, seremos informados pela mídia sobre o envolvimento de funcionários no hospital e de outras instituições públicas que têm interface com o "negócio".

Aí, serão apresentados projetos pelo Legislativo visando a salvaguardar os direitos dos cidadãos nos hospitais e, se tudo correr bem, as famílias das vítimas terão um ressarcimento pelos "prejuízos" causados. Em qual contexto o caso se insere?

De um lado, o serviço público ineficiente, que consome mal os recursos disponíveis e mal paga a seus funcionários. Do outro, o capitalismo selvagem que recruta indigentes do Estado para a execução de tarefas que têm o lucro como único objetivo.

Portanto, tem falhado o Estado no processo de indução ética, pois apenas isso explica o envolvimento de pessoas em atos hediondos em busca da complementação salarial. E tem falhado o capitalismo selvagem que, na competição por lucros, remunera os hediondos atos que, em última análise, foram provocados por ele próprio.

Eduardo Dantas